Boa sorte, Apolo

Este projeto tem como finalidade a publicação de uma narrativa. Para tal, foram criados alguns personagens de destaque nesta história, cuja estética é explorada nas ilustrações abaixo. Mais do que um projeto, Boa Sorte, Apolo é um exercício, uma proposta de imersão psicológica na complexa (e ainda pouco compreendida) mente infantil. Ainda pouco desenvolvida, a narrativa é um desafio para mim, e está sendo elaborada por meio da minha experimentação e aprendizado em meus estudos. 

ÉMILE

Um menino tímido, porém determinado, curioso, corajoso e nada tolo: Sabe reconhecer muito do que os mais velhos deixam passar. Sabe, por exemplo, reconhecer uma situação daquelas chamadas "insolucionáveis", e sabe que, pior do que estar perdido, é permanecer onde não se deseja ficar. E assim segue seus dias fugidios, se agarrando a lembranças e pequenas engenhosidades inventadas.

LAVÍNIA

Impulsiva, teimosa mas muito astuta, esta menina, nascida no interior das regiões montanhosas de Minas Gerais, está sempre disposta a defender com unhas e dentes tudo aquilo em que acredita, mesmo que seus ideais não façam sentido para mais ninguém. O que ela ainda não sabe é que está prestes a seguir uma longa estrada, levando-a para muito além das matas do seu conhecido cerrado.

ANGELINA

Uma menina à procura de seu desaparecido irmão. Alegre, solidária, independente e piadista até dar nos nervos, Angelina é forçada a assumir uma responsabilidade prematura quando ela encontra um estranho menino perdido na floresta. Despida de todas as suas mais queridas memórias, ela decide acompanhar Émile e Lavínia em uma nova jornada, em busca de um mundo do qual ela já não faz parte.  

Alguns sketchs prematuros dessa história, uma  investigação sobre o cenário, os personagens e suas características, possuindo, entretanto, elementos que mais tarde foram descartados